Saltar para conteúdo

Intervenções

2021-04-30 às 19h32

Intervenção do Ministro da Administração Interna na Cerimónia de Assinatura dos Protocolos para a Constituição de 60 Equipas de Intervenção Permanente Vendas Novas

«Estamos aqui, hoje, num dia de esperança, no ano mais difícil das nossas vidas, enquanto participantes na estrutura de bombeiros, na dimensão autárquica, na dimensão de participação cívica, de todos aqueles que assumiram o serviço à comunidade como um desafio.

Daqui a poucas horas, Portugal deixa, oficialmente, de estar em Estado de Emergência. Mas isso não significa que o combate difícil que temos vindo, juntos, a travar no último ano, tenha terminado. A partir de agora, é a Lei de Bases da Proteção Civil que, no quadro da chamada Situação de Calamidade, passa a nortear a resposta pública aos desafios que visam consolidar estes resultados animadores que são a única forma de homenagearmos os mais de 800 mil portugueses afetados por esta terrível doença, os mais de 16 mil que perderam a vida ao longo deste ano tão complexo.

É por isso que eu queria, neste momento, fazer uma profunda homenagem a todos os agentes de proteção civil e, de uma forma muito especial, aos bombeiros, que estão no centro desta resposta, que são a coluna vertebral do nosso sistema de proteção civil. Uma homenagem pela forma como não deixaram de fazer tudo aquilo que sempre fizeram, garantindo que 2020 fosse mais um ano com menos de 50% de ocorrências em incêndios rurais relativamente à média dos últimos 10 anos, com menos de 51% de área ardida relativamente à média da década. Obviamente isso é fundamental para o sentimento de segurança das populações. Em todas as ocorrências múltiplas estiveram presentes e a isso acresce a resposta que foi dada àqueles que foram vítimas ou tiveram de ser sujeitos a mecanismos de deslocação por isolamento profilático, ou que por qualquer outra razão tiveram de ter apoio no quadro do combate à pandemia».

Leia a intervenção na íntegra