Saltar para conteúdo

Intervenções

2021-07-14 às 12h29

Intervenção da Ministra da Cultura na Comissão de Cultura e Comunicação, na Assembleia da República, em 14 de julho de 2021

«Hoje, faz exatamente 500 dias desde que foi detetado o primeiro caso de Covid-19 em Portugal.

Chegados a esta quarta audição regimental da Cultura, a última desta sessão legislativa, olhamos para trás e não conseguimos disfarçar a vertigem. Onde começou e onde termina este ano? Paramos e é difícil encontrar a resposta clara e cabal. A única verdade possível é que em março de 2020, o tempo passou a ser matéria distinta daquela que conhecíamos. 

O que era urgente deixou de sê-lo com a chegada de novas pressas, mais urgentes do que as anteriores. E no meio da emergência nem sempre foi fácil encontrar o caminho certo. Errámos e acertámos. Demos o nosso melhor, num momento para o qual nenhum de nós foi treinado, um momento para o qual não existe preparação possível.

Os anos de 2020 e 2021 não são apenas anos difíceis para todos. São anos terríveis para todas as mulheres e homens que viram o seu trabalho suspenso sem aviso prévio. Para quem trabalha na Cultura, estes são anos de chumbo.»

Leia a intervenção na íntegra
Tags: cultura