Saltar para conteúdo

Intervenções

2020-06-30 às 15h20

Intervenção da Ministra da Cultura na Comissão parlamentar de Cultura e Comunicação

«Não ignoramos, ninguém pode ignorar, que a realidade é, hoje, muito diferente daquela que imaginámos em janeiro de 2020, quando aqui estive pela primeira vez este ano. A crise de saúde pública teve e terá fortíssimos impactos económicos e sociais, que se refletem de forma muito particular no setor da cultura. Por o reconhecermos, aprovámos medidas para o tempo da emergência e medidas para um presente e um futuro mais exigentes.

Mas a pandemia não apaga o passado recente. E importa continuar a recordá-lo.

Ao longo dos últimos anos este Governo trabalhou com objetivos claros, reforçando ano após ano o investimento em Cultura, com um orçamento que cresceu 40% nos quatro anos da anterior legislatura e que em 2020 registou um aumento de 10% face ao ano anterior.

Maior investimento no apoio às artes (+75% entre 2015 e 2019, +17% em 2020), num global de 89 milhões de euros no OE aprovado neste Parlamento; na arte contemporânea (num global de 65 milhões de euros em 4 anos); No setor do livro e das bibliotecas; no cinema e audiovisual; no património cultural.

Em simultâneo, e porque aumentou o investimento público em cultura, lançámos programas estruturais nas mais diversas áreas de atuação, como o Arquivo Nacional do Som, o Plano Nacional da Artes, a Portugal Fim Commission que têm hoje um papel central nas políticas públicas na área da cultura. Hoje estas estruturas estão presentes, trabalham e enriquecem a nossa cultura, mas há que não esquecer que, até este Governo ter chegado, elas não existiam».

Leia a intervenção na íntegra