Saltar para conteúdo

Intervenções

2020-07-24 às 14h20

Discurso da Ministra da Saúde no debate do estado da Nação

É ainda cedo para sabermos quando sairemos desta crise.

(...)

Temos de estar preparados para responder à persistência ou recrudescimento de Covid-19 e, simultaneamente, a todas as demais necessidades em saúde e ao aparecimento do vírus da gripe sazonal depois do Verão.

Porque sabemos que a capacidade das equipas de saúde pública é decisiva para identificar e isolar precocemente casos e contactos, estamos a trabalhar com a Ordem dos Médicos para duplicar o número de vagas para a formação médica especializada em Saúde Pública, excecional e imediatamente.

Porque sabemos que a capacidade de testar é essencial para a identificação célere de casos, estamos a trabalhar na duplicação da capacidade de resposta dos laboratórios do SNS e INSA, que esperamos que atinja, só na rede pública, 22.000 testes por dia.

Porque sabemos que a capacidade de cuidados intensivos é crítica para uma possível segunda vaga de Covid-19, estamos a trabalhar para convergir com a média europeia de 11,5 camas de cuidados intensivos por 100.000 habitantes, completando o programa vertical de 60ME de aquisição de ventiladores com infraestruturas.

E porque sabemos que as necessidades assistenciais dos portugueses são mais do que o combate à Covid-19, temos,
com a promulgação do Orçamento Suplementar, a possibilidade de usar, até ao final do ano, o plano excecional de contratação de atividade adicional de primeiras consultas hospitalares e cirurgias com remuneração direta e majorada aos profissionais de saúde.

Leia a intervenção na Íntegra