Saltar para conteúdo

Comunicados

2021-04-26 às 20h22

Segurança Social com saldo de 230 milhões de euros em março

O saldo global do subsetor da Segurança Social atingiu em março um excedente de 229,7 milhões de euros.

Para este resultado contribuiu um aumento da receita efetiva de 250,4 milhões de euros, e essencialmente um aumento da despesa efetiva no montante de 1.179,8 milhões de euros, que se deve essencialmente às medidas extraordinárias adotadas para fazer face aos efeitos socioeconómicos da pandemia por Covid-19.

Do lado da receita efetiva, esta cifrou-se em 7.750,4 milhões de euros, um aumento de 3,3% face ao período homólogo de 2020.

Este aumento decorre, essencialmente, do aumento das transferências do exterior em 6,8 milhões de euros (+1,6% do que em março de 2020) e do aumento das transferências correntes da Administração Central em 180,4 milhões de euros. Verificou-se ainda um decréscimo das contribuições e quotizações em 28,4 milhões de euros (-0,6% em termos homólogos).

A despesa efetiva atingiu o montante de a 7.520,7 milhões de euros, um aumento de 18,6% face ao período homólogo. Esta subida foi gerada, essencialmente, pelas medidas adotadas no âmbito da situação de pandemia por Covid-19, que representam um acréscimo de 804,9 milhões de euros.

Para além das despesas relacionadas com a Covid-19, o aumento da despesa deve-se ainda a:

• Aumento da despesa com prestações de desemprego no montante de 134,9 milhões de euros, que representam um acréscimo de 42,9% face ao período homólogo;
• Aumento da despesa com pensões e complementos em 127,2 milhões de euros (+3,3% do que em março de 2020);
• Aumento da despesa com programas e prestações de ação social em 9,3%, mais 40,8 milhões de euros do que em março de 2020.

Verificaram-se ainda diminuições de despesa relacionadas com prestações de parentalidade e com os subsídios e complementos por doença.