Saltar para conteúdo

Comunicados

2020-10-11 às 12h02

Livro sobre Comércio com História com versão eletrónica: publicação bilingue já disponível

Está disponível a versão eletrónica do livro que reúne ilustrações e textos sobre alguns dos estabelecimentos da plataforma «Comércio Com História», na qual estão incluídas mais de 210 locais de todo o País.

À distância de um clique, estão agora disponíveis os pormenores da história de várias lojas que integram o inventário nacional disponibilizado nesta plataforma digital, lançada publicamente em maio de 2019.

Na publicação são retratados os estabelecimentos em desenhos dos «Urban Sketchers», num projeto que teve a duração de cerca de três meses. Estiveram envolvidos 21 ilustradores, a equipa da «Zest Books» e a Direção-Geral das Atividades Económicas. Os textos tiveram por base as informações disponibilizadas pelas câmaras dos municípios onde as lojas se localizam.

Atualmente, a iniciativa «Comércio com História» integra 212 lojas emblemáticas de 8 municípios portugueses, sendo que se encontram aproximadamente 50 estabelecimentos em processo de adesão.

«O património histórico, arquitetónico e cultural das lojas que integram a plataforma ‘Comércio com História’ vai chegar a mais públicos através da disponibilização da versão eletrónica desta publicação», segundo o Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

«As ferramentas digitais possibilitam difundir, de forma abrangente, a importante marca que estes estabelecimentos e instituições têm deixado nos respetivos territórios. Num momento que convoca especialmente a reflexão quanto aos caminhos presentes e futuros a seguir no setor do comércio, estas âncoras são testemunhos da resiliência e do dinamismo dos empresários e trabalhadores do nosso país», acrescentou.

Sobre a plataforma Comércio com História:

A plataforma "Comércio com História" surge no âmbito do disposto na Lei n.º 42/2017, de 14 de junho, que prevê a criação de um acervo nacional dos estabelecimentos e entidades de interesse histórico ou cultural e social local reconhecidos pelas câmaras municipais – o denominado Inventário Nacional Comércio com História.