Saltar para conteúdo

Comunicados

2021-02-05 às 11h02

Deucalion: o novo supercomputador verde de classe mundial em Portugal

O contrato de aquisição para um novo supercomputador petascale EuroHPC foi assinado entre a European High-Performance Computing Joint Undertaking (EuroHPC JU), a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e a Fujitsu, a empresa fornecedora da tecnologia.

Este sistema HPC, que será instalado em Portugal, denominado "Deucalion", trata-se de um supercomputador petascale, capaz de executar o desempenho máximo de 10 Petaflops ou 10 milhões de biliões de cálculos por segundo. A máquina usará a tecnologia ARM, que se trata do Fujitsu A64FX CPU, usado pelo Fugaku, o supercomputador mais rápido do mundo atualmente.

O Deucalion vai ficar instalado no Minho Advanced Computing Centre (MACC) da FCT, um dos quatro centros operacionais de computação avançada em Portugal coordenados pela FCT. O Deucalion permitirá o desenvolvimento de um contexto único e inovador para aplicar os princípios europeus e mundiais da computação verde, aproveitando uma infraestrutura totalmente sustentável, cofinanciada por fundos nacionais atribuídos à área da Ciência e fundos estruturais europeus alocados à região Norte e ao Fundo de Apoio à Inovação e Fundo de Eficiência Energética (estes últimos sob a tutela do Ministro do Ambiente e da Ação Climática).

Manuel Heitor, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior português, afirmou: «O Deucalion vai ser instalado no Minho Advanced Computing Centre (MACC) da FCT, em estreita colaboração com a Câmara Municipal de Guimarães e a Universidade do Minho, enquanto parte de uma infraestrutura de computação totalmente sustentável tendo em vista a promoção de novos avanços nas transições digital e verde e um novo estímulo à coesão regional e que representará 50 milhões de euros do investimento total. Trata-se da concretização de um objetivo importante durante a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, mas também, e acima de tudo, de um passo em frente para envolver todas as regiões na ampla rede europeia de supercomputação, bem como permitir que as infraestruturas digitais promovam novas fronteiras de conhecimento em várias disciplinas e em direção a um futuro melhor e mais verde».

João Pedro Matos Fernandes, o Ministro do Ambiente e da Ação Climática, afirmou: «O Deucalion será um dos primeiros projetos europeus de supercomputação com um nível reduzido de emissões de carbono, alinhado com o Pacto Ecológico Europeu. Toda a operação deste supercomputador será baseada em fontes de energia renováveis, seja pela produção direta de eletricidade a partir de tecnologias baseadas nas energias solar e eólica numa lógica de autoconsumo, ou combinando-a com sistemas de armazenamento. A descarbonização do Deucalion será promovida através do Fundo de Apoio à Inovação e do Fundo de Eficiência Energética, estabelecendo assim um exemplo para supercomputadores e data centers do futuro. Certamente, um casamento bom e feliz entre as transições digital e verde!».