Saltar para conteúdo

Comunicados

2020-02-28 às 15h50

Crescimento económico revisto em alta em 2018 e 2019

Em 2019, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu em termos reais 2,2%, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Este é a mais recente atualização pelo INE dos dados de 2018 e 2019 e corresponde a uma revisão em alta em 0,2 p.p., face à estimativa rápida de 14 de fevereiro. Os dados para 2018 são igualmente revistos em alta, tendo o PIB crescido 2,6% (revisão de +0,2 p.p. face a setembro de 2019 e de +0,5 p.p. face à estimativa inicial de fevereiro de 2019).

Crescimento sólido e equilibrado da economia em 2019 – investimento mais elevado desde 2011 

O crescimento do PIB em 2019 decorre de um contributo da procura interna de 2,7 p.p. e de -0,6 p.p. da procura externa líquida.  

No plano interno destaca-se o crescimento do investimento de 6,5%, atingindo o valor nominal mais elevado desde 2011. O crescimento do investimento fora já de 6,2% em 2018 e de 11,9% em 2017, valores que traduzem a confiança dos agentes económicos e a perspetiva positiva de crescimento da economia portuguesa nos próximos anos. A FBCF em Construção aumentou 9,4% e em Produtos de Propriedade Intelectual 6,5%, em ambos os casos uma aceleração face a 2018, mas merece também nota o crescimento da FBCF em Outras Máquinas e Equipamentos, de 4,7%. O consumo privado teve um crescimento de 2,3%, uma desaceleração face aos 2,9% de 2018, em parte justificada pela diminuição das despesas com a aquisição de veículos automóveis. O consumo público avançou 0,8% em 2019, o que revela a continuação do esforço de consolidação orçamental em curso. 

No plano externo destaca-se um aumento das exportações de 3,7%, um valor particularmente relevante num cenário de incerteza e desaceleração do crescimento dos principais parceiros de comércio, e um aumento das importações de 5,2%. Verificou-se ainda um ganho nos termos de troca de 0,7%, indicador que registou valores positivos pela primeira vez desde 2016. O Saldo Externo de Bens e Serviços encontra-se equilibrado, apresentando um valor ligeiramente positivo em 0,1%. 

Leia o comunicado na íntegra em anexo.
Áreas:
Finanças