Saltar para conteúdo

Comunicados

2020-02-18 às 13h59

CP tem novo acordo de empresa 20 anos depois

O Ministério das Infraestruturas e da Habitação congratula-se com a assinatura, ocorrida hoje, de dois novos acordos de empresa na CP, um para os maquinistas e outro para as categorias gerais.

Depois de largos meses de negociações, foi possível chegar a um entendimento com os sindicatos representativos de todas as categorias profissionais (SMAQ,SFRCI, FECTRANS/SNTSF, ASSIFECO, SNAQ, ASCEF, SINFB, SINFB, SINFA, SINAFE, SINDEFER, SNEET).

Os novos acordos de empresa garantem aumentos salariais e melhorias das condições de trabalho para todos os trabalhadores e contribuem para dignificação do trabalho nestas empresas.

Este processo está em linha com o acordo de empresa assinado no final do ano de 2019 na EMEF, dando à CP os instrumentos necessários para proceder à fusão entre as duas empresas.

A aposta na ferrovia passa também pela dignificação das condições de trabalho. Como lembrou o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, no momento da assinatura, «a ferrovia é o melhor meio de transporte, mas na base está o serviço à população e as condições de vida e de trabalho dos seus trabalhadores».

O acordo de empresa para as categorias gerais não era revisto desde 1999 e o dos maquinistas desde 2003.

Com os acordos assinados hoje, há um aumento da tabela indiciária, do subsídio de refeição, diuturnidades, subsídio para falhas, subsídio de turno, entre outros.

O Ministro enalteceu o sentido de responsabilidade e compromisso manifestado por todas as partes neste processo. E lembrou que este «não é um ponto de chegada, mas um documento com avanços que não significa que o trabalho terminou». Pedro Nuno Santos voltou a referir que o seu objetivo é «fazer novamente da CP uma grande CP».