Saltar para conteúdo

Comunicados

2019-12-20 às 19h26

Comissão de avaliação do «Programa de Estímulo ao Emprego Científico» reúne pela primeira vez no Porto

O Programa de Estímulo ao Emprego Científico, criado em 2016, vai ser avaliado por uma Comissão de Avaliação Alto Nível, constituída por Helena Nazaré (antiga reitora da Universidade de Aveiro e presidente do Conselho Coordenador do Ensino Superior entre 2016 e 2019), José Carlos Marques dos Santos (Coordenador Científico da Avaliação do Concurso Estímulo ao Emprego Científico Individual da FCT, desde 2017 e antigo reitor da Universidade do Porto), António Rendas (Coordenador Científico da Avaliação do Concurso Institucional de Estímulo ao Emprego Científico da FCT, desde 2017 e antigo Reitor da Universidade Nova de Lisboa) e António Cunha (Coordenador Científico da Avaliação do Concurso Institucional de Estímulo ao Emprego Científico da FCT desde 2017 e antigo Reitor da Universidade do Minho). Este grupo de peritos reuniu-se hoje pela primeira vez, na Universidade do Porto e deverá entregar o primeiro relatório de avaliação no prazo de três meses. Nesta primeira reunião, esteve presente o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor e a presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), Helena Pereira, seguindo-se uma sessão de trabalho com os dirigentes da Associação Nacional de Investigadores em Ciência e Tecnologia (ANICT), presidida por Nuno Cerca.

Um dos objetivos do XXII Governo Constitucional consiste em continuar a valorização do emprego científico e do desenvolvimento das carreiras académicas e científicas. O grupo de Peritos agora nomeado fará a avaliação independente e rigorosa dos resultados já obtidos pelo Programa de Estímulo ao Emprego Científico, com vista a garantir reforçar e, se necessário, adequar os objetivos, assim como os vários mecanismos de apoio financeiro e de contratação entretanto criados. Vai ainda analisar os mecanismos de incentivo à contratação de novos doutorados e desenvolvimento de planos de emprego científico e de carreiras científicas pelas instituições científicas e a académicas, públicas ou privadas.

Leia o comunicado na íntegra em anexo.