Saltar para conteúdo

Comunicados

2021-07-07 às 16h15

Atividade assistencial do Serviço Nacional de Saúde

O acompanhamento da atividade assistencial não-COVID-19 e a sua coexistência com as necessidades assistenciais decorrentes da pandemia tem sido uma das preocupações essenciais do Ministério da Saúde ao longo dos últimos mais de 15 meses.

A título de exemplo das várias estruturas em que o tema da recuperação da atividade assistencial prejudicada pela resposta à COVID-19 tem sido acompanhado, destaca-se o Grupo de Trabalho integrado pelos Coordenadores da Comissão de Apoio à Resposta Nacional em Medicina Intensiva, dos Programas Nacionais Prioritários para as Doenças Oncológicas, Cérebro-Cardiovasculares, Respiratórias e Diabetes, pela Direção-Geral da Saúde, pela Administração Central do Sistema de Saúde e pelas 5 Administrações Regionais de Saúde, coordenado pela Ministra da Saúde e pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

Relativamente à recuperação da atividade assistencial nos Cuidados de Saúde Primários, os dados (provisórios) acumulados a maio de 2021, face a maio de 2020, demonstram que foram feitas mais 3.129.079 consultas médicas totais (+ 25,4%) e que, no mesmo período, face a maio de 2019, esse aumento foi de 1.691.836 consultas (+12,3%). Foram também registados aumentos nas consultas de enfermagem e de outros técnicos de saúde.

Nos Cuidados de Saúde Hospitalares, os dados (provisórios) acumulados a maio de 2021, face a maio de 2020, demonstram que foram feitas mais 785.498 consultas médicas totais (+17,6%), ainda que com uma ligeira diminuição face a maio de 2019 (-117.540 consultas, ou seja -2,2%). Os mesmos dados revelam que foram feitas mais 76.191 cirurgias (+36,1%) e que, a maio de 2021, face a maio de 2019, ocorreu uma diminuição de cirurgias 9.291 cirurgias, ou seja -3,1%.

Leia o comunicado na íntegra em anexo.
Áreas:
Saúde