Saltar para conteúdo

Notícias

2019-04-10 às 14h26

Reposição da comparticipação dos tratamentos termais beneficia turismo do interior

Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, e Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, na cerimónia de assinatura da reposição da comparticipação dos tratamentos termais, São Pedro do Sul, 10 abril 2019
A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, destacou que a reposição da comparticipação dos tratamentos termais para os contribuintes do Serviço Nacional de Saúde é «uma vitória do turismo no interior».

Na cerimónia de assinatura da reposição da comparticipação, nas termas de São Pedro do Sul, no distrito de Viseu, a Secretária de Estado sublinhou que o grupo de trabalho «tinha como prioridade abrir o mapa turístico de Portugal, porque o País é muito mais que o litoral».

A Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, realçou que a medida está a ter um efeito imediato e que as termas de São Pedro do Sul «já têm vários pedidos de comparticipação destes tratamentos, o que comprova a mais-valia e a vontade da população em aceder a estes tratamentos». «As pessoas estavam à espera desta oportunidade», acrescentou.

Raquel Duarte afirmou que o regime de comparticipação «é feito através de um projeto-piloto, que vai ser avaliado no primeiro trimestre de 2020» e «caberá aos médicos de família a prescrição de um conjunto de tratamentos que terão uma duração entre 12 e 21 dias», uma previsão de comparticipação de 35% e um limite de 95 euros por utente.

Ana Mendes Godinho destacou a necessidade de afirmar «esta importância das termas na forma como se olha para uma vida saudável e de uma forma holística como se olha para tudo o que envolve as questões de saúde».

A Secretária de Estado do Turismo referiu também as quatro ações-chave deste trabalho: a reposição das termas, o investimento, a necessidade de formação e sensibilização e a «grande campanha de promoção e uma campanha de divulgação para que as termas voltem a estar no meio de todos».

«É preciso que haja investimento para requalificação das unidades para dar uma nova faceta às termas, nomeadamente na vertente de saúde e bem-estar», acrescentou, dizendo que também é preciso sensibilizar a classe médica para a «importância das termas como um instrumento preventivo».