Programa de Regadios melhora competitividade e aumenta resiliência face à seca - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-02-02 às 17h15

Programa de Regadios melhora competitividade e aumenta resiliência face à seca

O Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, afirmou que o Programa Nacional de Regadios vai melhorar a competitividade da agricultura nacional e aumentar a resiliência de Portugal face aos efeitos da seca.

Na sessão de apresentação do Projeto de Ampliação do Regadio de Alqueva e do Lançamento do Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz, o Ministro destacou o investimento de 534 milhões de euros que permitirá um total de 90 mil hectares de regadios até 2020 e o renascimento do Alqueva.

«O grande desafio agora é encontrarmos as culturas mais adequadas, quer às alterações climáticas, quer à capacidade dos solos, e, ao mesmo tempo, aquelas que sejam menos utilizadoras de água, por forma a potenciar o uso deste recurso finito e tão importante», acrescentou.

O Ministro realçou que cerca de metade da área do Programa Nacional de Regadios corresponde à ampliação do Alqueva, enquanto a outra metade será repartida «em novos regadios desde o Algarve até Trás-os-Montes e na recuperação de muitos regadios, que têm 30 a 50 anos e estão a necessitar de obras de conservação e de investimento».

A aposta vai permitir a criação de condições para a «fixação da população e para a criação de riqueza», e ainda aproveitar «os melhores solos agrícolas que estejam perto de reservas de água».

Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz

O lançamento do Bloco de Rega de Reguengos de Monsaraz «foi concebido para regar 120 mil hectares» e esta ampliação vai permitir aumentar a área em mais 50 mil hectares.

O projeto representa um investimento de 210 milhões de euros até 2021 e contempla o abastecimento público a mais cinco concelhos do Alentejo e a criação de praticamente 50 mil hectares de regadio distribuídos por 11 novos blocos de rega.

«A evolução tecnológica e as culturas que se foram instalando permitem poupanças de água que nos permitirão regar mais 50 mil hectares com a mesma água, devido a essa utilização eficiente», destacou Capoulas Santos.

O Ministro sublinhou ainda a importância do Alqueva no combate às dificuldades provocadas pela situação de seca grave que Portugal atravessa.