Saltar para conteúdo

Notícias

2018-12-07 às 18h43

Prémio Oceanos é um importante instrumento «para a consolidação e promoção da língua portuguesa»

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, na entrega do Prémio Oceanos 2018 no Palácio Nacional da Ajuda, 7 dezembro 2018
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou que o Prémio Oceanos tem-se destacado «como um dos mais importantes instrumentos para a consolidação e promoção da língua portuguesa».

Na cerimónia de entrega do prémio, no Palácio Nacional da Ajuda, a Ministra da Cultura realçou que este prémio «representa um diálogo fundamental entre as culturas de expressão portuguesa, marcado não só pela transversalidade da língua e das diversas formas literárias em que ela se manifesta, da poesia à prosa, mas pelos contactos que promove na construção de uma cultura em português».

«Este prémio representa um diálogo fundamental entre as culturas de expressão portuguesa», arreferiu Graça Fonseca, acrescentando que tem servido de incentivo à escrita e dado um contributo fundamental para «dar a conhecer todas as literaturas em português e, desta forma, fomentar o desenvolvimento de uma cada vez maior comunidade de leitores na língua, colocando todas as suas geografias em contacto».

«É nesta interação de culturas e de formas de utilizar o português que a sua expressão se torna mais plural, mais rica e com melhor capacidade de integrar no seu seio a diversidade e a diferença. Esta valorização beneficia não apenas os países abrangidos, mas a diversidade e a qualidade da literatura de língua portuguesa na sua projeção internacional», afirmou.

A escritora brasileira Marília Garcia venceu o prémio com a obra «Câmera Lenta». O escritor português Bruno Vieira Amaral venceu o segundo prémio pela obra «Hoje estarás comigo no paraíso», enquanto o terceiro prémio foi atribuído ao poeta português Luís Quintais, com a obra «A noite imóvel».

Com o quarto e último prémio, foi distinguido o poeta moçambicano Luís Carlos Patraquim com a obra «Ó deus restante».
Áreas:
Cultura