Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-25 às 16h30

Portugal recebe 4ª Conferência de Ministros do Emprego e Trabalho da União para o Mediterrâneo

Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, na apresentação da 4.ª ª Conferência de Ministros do Emprego e Trabalho da União para o Mediterrâneo, Lisboa, 25 março 2019
A convite da Comissão Europeia, Portugal, através do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, acolherá a 4ª Conferência de Ministros do Emprego e Trabalho da União para o Mediterrâneo, nos próximos dias 2 e 3 de abril.

Lançada em 2008, a União para o Mediterrâneo é uma organização intergovernamental, que reúne os 28 Estados-Membros da União Europeia e os 15 países da margem sul e oriental do Mediterrâneo, para promover o diálogo e a cooperação. Esta organização é atualmente copresidida pela Comissão Europeia e pela Jordânia.

Com o tema «Empregos, Competências e Oportunidades para Todos», os ministros responsáveis pelo Emprego e Trabalho dos 43 Estados-membros da União para o Mediterrâneo, a Comissária Europeia do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade Laboral, Marianne Thysse,  bem como o Secretário-geral da União para o Mediterrâneo, Nasser Kamel, vão procurar debater os desafios mais urgentes do mercado de trabalho da região do Mediterrâneo, identificando formas de o tornar inclusivo e acessível a todos, em particular aos jovens e às mulheres.

A conferência terá dois grandes objetivos, sendo o primeiro a aprovação da declaração conjunta entre os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) e os 15 países da margem sul e oriental do Mediterrâneo com as estratégias comuns em termos de mercado de trabalho, afirmou o Ministro Vieira da Silva, que presidirá à conferência. 

O segundo objetivo, acrescentou o governante, é «fomentar a cooperação multilateral e bilateral entre os países» da União para o Mediterrâneo, onde se incluem, por exemplo, Marrocos, Tunísia, Albânia, Líbano, Palestina, Turquia, Bósnia ou Israel.

Vieira da Silva sublinhou que, embora exista uma «grande proximidade histórica e territorial» entre os países que compõem a União para o Mediterrâneo, «há diferenças sociais e económicas» que «não impedem que se trabalhe para um objetivo comum».

Esse objetivo é o de «reforçar as políticas sociais no domínio da integração no mercado de trabalho, na construção de mercados de trabalho mais inclusivos, de combate à informalidade, de trabalhar para que questões como a dos fluxos migratórios sejam o mais possível integradas nas dinâmicas do mercado de trabalho da Europa», disse o Ministro.

«É extremamente importante que numa área estrutural para a vida económica e social nos nossos países possa existir uma visão de conjunto que valorize a coesão, a aquisição de competências, a formação profissional, um caminho para uma sociedade mais coesa, que crie mais oportunidades de emprego digno e com futuro», salientou Vieira da Silva.

O encontro decorrerá no Hotel Cascais Miragem e contará com as intervenções do Primeiro-Ministro, António Costa, e do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.