Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-09 às 19h01

Portugal no caminho certo para a independência energética em 2030

Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes
«Portugal está mesmo no caminho certo se virmos quais são as projeções e as preocupações no que à energia diz respeito» para alcançar a independência energética em 2030, afirmou o Ministro do Ambiente e Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes.

Estas declarações foram feitas aos jornalistas após a apresentação do relatório «World Energy Outlook 2018», em Lisboa. Esteve também presente o Secretário de Estado da Energia, João Galamba.

«A instabilidade está em torno dos combustíveis fósseis que reclamam uma cada vez maior capacidade de independência dos países e Portugal está a tê-la», acrescentou o Ministro.

Aposta nas energias renováveis

«O objetivo em Portugal passa ainda por utilizar cada vez menos origens fósseis, socorrendo-se de recursos como a água, o sol e o vento, necessários para, como investimento certo e a tecnologia certa, ser completamente independente do ponto de vista energético em 2030», disse também João Pedro Matos Fernandes.

O Ministro acrescentou que, nos próximos anos, o continente africano vai ganhar qualidade de vida, referindo que implica também colocar pressão no consumo de recursos, em particular, energéticos.

«Portugal está a ter um papel importante nesta matéria, utilizando meios do Fundo Ambiental para garantir que, ao bem-estar que queremos que no continente africano todos venham a ter, não tenha de corresponder um modelo como foi o europeu, cortando o consumo de matérias primas e de energia», disse também.

O Secretário de Estado da Energia, João Galamba, referiu que, tendo em conta os objetivos estipulados para 2030, «os desafios do setor devem ser enfrentados com uma abordagem comum».

«É imperativo que sejam tomadas escolhas corretas, tendo em conta a mudança para uma economia baixa em carbono», concluiu.