Portugal tem «todo o empenhamento» em manter o nível das relações bilaterais com Brasil - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-10-29 às 14h35

Portugal tem «todo o empenhamento» em manter o nível das relações bilaterais com Brasil

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva
O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que Portugal mantém «todo o empenhamento» em manter o nível das relações bilaterais e multilaterais com o Brasil na sequência da eleição de Jair Bolsonaro como presidente.

«Registamos o resultado da eleição, cumprimentamos o Presidente eleito e, da nossa parte, temos todo o empenhamento em continuar o mesmo nível de relacionamento, seja no plano bilateral, seja no plano multilateral», referiu em declarações à Lusa.

O Ministro destacou que os dois países têm uma agenda bilateral bastante rica e são parceiros na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e na Conferência Ibero-Americana, «duas organizações regionais muito importantes» em que Portugal tem «trabalhado de perto com o Brasil», o que pretende continuar a fazer.

Santos Silva realçou também a relação económica e o investimento dos dois governos no reforço da cooperação científica e tecnológica, sem ignorar as ligações históricas, linguísticas e de proximidade cultural entre dois países que têm fortes comunidades estrangeiras – portuguesa no Brasil e brasileira em Portugal.

O Ministro sublinhou que o Brasil «continua a ser um parceiro comercial e económico muito importante», como é exemplo o desenvolvimento do cluster aeronáutico português», acrescentando que aguarda que o pais continue a demonstrar o mesmo empenho no quadro da CPLP.

 «Assumiu a presidência da CPLP no último mandato, entre 2016 e 2018, fez uma presidência boa, trazendo para a prioridade do nosso trabalho a conversação multilateral em torno dos objetivos de desenvolvimento sustentável e é um parceiro muito importante na CPLP, fez-se representar ao mais alto nível, através do seu Presidente, na Cimeira do Sal, dando assim todas as indicações de que quer continuar o protagonismo que lhe cabe na CPLP», disse.