Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-17 às 15h33

Planos de proximidade são fundamentais para minorar impacto das alterações climáticas

«A ferramenta que hoje estamos a apresentar, que completa e junta planos municipais que, por sua vez, têm como orientação o plano nacional, é fundamental para a ação de cada investimento no território», afirmou o Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde.

O Secretário de Estado referia-se ao Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, cuja apresentação decorreu na Guarda.

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela é constituída por 15 municípios: 12 do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).

«O novo plano deve fazer parte dos instrumentos de gestão territorial, como são os Planos Diretores Municipais», acrescentou João Ataíde, sublinhando que «este é o tempo de colocar no terreno ações concretas de resposta às alterações climáticas, construídas numa lógica preventiva, e não de mera resposta à emergência».

O Secretário de Estado disse ainda: «Este é, também, o tempo de fomentar o envolvimento das várias partes com intervenção no território», para além da aposta necessária na educação e sensibilização ambiental da sociedade para as alterações climáticas.

Envolvimento das partes é essencial

João Ataíde afirmou que o Plano apresentado constitui «um verdadeiro roteiro estratégico para facilitar a adaptação das Beiras e da Serra da Estrela aos riscos climáticos».

Este Plano «inclui ações de educação e sensibilização ambiental, mas também de monitorização, avaliação e vigilância das infraestruturas verdes, da gestão sustentável da floresta, dos recursos fluviais e das espécies agrícolas», acrescentou o Secretário de Estado.

«A necessidade de adaptação às alterações climáticas tem de ser realizada, não só a nível local, como também regional, de forma a garantir a coerência de ação entre municípios vizinhos», realçou ainda João Ataíde.

E concluiu: «Apresentado o Plano, interessa agora pô-lo em prática e enriquecê-lo, obviamente, com o envolvimento dos atores da região e de toda a sociedade civil, contando com cada uma das pessoas que aqui reside, trabalha e usufrui da região».

O Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas foi elaborado pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela no âmbito de uma candidatura ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).