Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-29 às 10h03

Países da CPLP poderão vir a participar em operações da ONU

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor, na conferência ministerial na Organização das Nações Unidas (ONU), a formação de militares da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para missões de paz.

Em entrevista à agência de notícias Lusa, em Nova Iorque, João Gomes Cravinho referiu que a participação portuguesa na conferência vai incluir «uma proposta nova» de trabalho conjunto na CPLP para a contribuição com militares em missões da ONU.

«Vamos avançar com uma proposta nova para trabalharmos juntos no âmbito da CPLP, para a formação de militares para missões de paz», disse o Ministro, sugerindo também a «criação de oportunidades de trabalho conjunto» para os nove países-membros.

João Gomes Cravinho disse que mantém a «expetativa de que a CPLP possa vir a ser uma instituição promotora, exportadora de paz e estabilidade para outras partes do mundo».

O Ministro referiu que a CPLP tem «uma diversidade grande e uma riqueza grande de experiências em matéria de operações de paz».
Quatro países da CPLP já tiveram assistência das Nações Unidas nos processos de transição de poder e na cessação de conflitos: Moçambique (ONUMOZ, entre 1992 e 1994), Angola (UNAVEM de 1989 a 1995 e MONUA de 1997 a 1999), Timor-Leste (UNTAET de 1999 a 2002 e UNMISET de 2002 a 2005) e Guiné-Bissau (UNOGBIS a partir de 1999, atualmente UNIOGBIS até março de 2020).

A proposta, que será apresentada na conferência, tem sido falada com governantes dos países da CPLP.

João Gomes Cravinho representa Portugal na Conferência Ministerial na sede da ONU sobre Operações de Manutenção de Paz, depois de encontros na quinta-feira com o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, o Subsecretário-Geral para as Operações Paz, Jean-Pierre Lacroix, o Subsecretário-Geral para o Apoio Operacional, Mr. Atul Khare e ainda encontros bilaterais com Presidente da Eslovénia, homólogos das Filipinas e África do Sul.