OCDE apresenta avaliação ao sistema de ciência, tecnologia, inovação e ensino superior - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-02-08 às 19h51

OCDE apresenta avaliação ao sistema de ciência, tecnologia, inovação e ensino superior

A apresentação pública dos resultados da avaliação realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) ao sistema de ciência, tecnologia, inovação e ensino superior português durante 2016/2017 decorre no dia 9 de Fevereiro, a partir das 11h00, no Teatro Thalia, em Lisboa. 

A sessão é presidida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e conta com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

A sessão inclui um debate coordenado pela Professora Helena Nazaré, coordenadora do Conselho Coordenador do Ensino Superior.

Esta avaliação resulta do convite formulado pelo Ministro à OCDE no final de 2015, cerca de 10 anos após o exercício realizado em 2006-2007. 

O processo de avaliação iniciou-se em meados de 2016 com a aprovação final dos termos de referência da avaliação pelo Conselho Coordenador do Ensino Superior e incluiu visitas realizadas a Portugal nos passados meses de abril, maio e junho de 2017, juntamente com a realização de reuniões de discussão preliminar da avaliação em novembro passado, as quais foram organizadas em nove locais distintos por todo o País.

Recomendações reforçam orientações do Governo

A avaliação vem, de uma forma geral, reforçar as orientações adotadas pelo Governo durante os últimos anos, sendo especialmente relevantes as recomendações que visam atingir os seguintes objetivos:

a) Reforçar a capacidade de I&D e de inovação em estreita articulação com o ensino superior, garantindo uma estreita ligação ao território e o impacto na criação de emprego qualificado em Portugal num contexto internacional;

b) Estimular a diversificação do sistema de ensino superior, juntamente com a diversificação das atividades de I&D, designadamente alargando, modernizando e reforçando o âmbito de atuação do ensino politécnico em termos de formação superior de natureza profissionalizante e de atividades de investigação e desenvolvimento baseadas na prática;

c) Reforçar as condições de emprego científico e o desenvolvimento de carreiras académicas e científicas, juntamente com a responsabilidade institucional em rejuvenescer e reforçar essas carreiras.

d) Continuar a estimular a internacionalização dos sistemas de ciência, tecnologia e ensino superior.

O documento a ser apresentado é um relatório pré-final que contém recomendações que merecerão uma análise por parte do Governo, cuja resposta política será apresentada brevemente.