Ministro da Cultura lamenta morte de Artur Correia - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-03-02 às 15h48

Ministro da Cultura lamenta morte de Artur Correia

O Ministro da  Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, lamenta a morte do cineasta Artur Correia, cuja obra marca vários momentos da história do cinema de animação.

Tendo-se iniciado na animação nos anos 60, Artur Correia recebeu várias distinções, nomeadamente na área do cinema de animação publicitário.

Fundou a Topefilme, que veio a ser o primeiro estúdio português de animação a trabalhar numa grande série internacional de animação. «Jackson Five» permitiu a Artur Correia dirigir a animação de um dos filmes desta série produzida para os estúdios de Robert Balser (1972).

Artur Correia foi também responsável pela primeira série portuguesa de animação: «O Romance da Raposa» (1988), uma adaptação do romance de Aquilino Ribeiro, que depressa se transformou num dos maiores sucessos do cinema português. 

O cineasta aliava o seu trabalho na animação com a autoria de ilustrações e de vários álbuns de banda desenhada. Entre eles, a obra «História Alegre de Portugal» e «Super-Heróis da História de Portugal», que foi Prémio Melhor Álbum no Amadora 2005. Em 2011, Artur Correia recebeu o Prémio de Honra neste certame, onde marcou presença desde o seu início.

Artur Correia voltaria a ser pioneiro com a realização da série de animação «História a Passo de Cágado», produzida nos estúdios de animação do Cine-Clube de Avanca. Esta obra foi a primeira série europeia de animação a ser exibida em telemóveis. Ainda em Avanca, viria a realizar a sua derradeira película, uma adaptação do Romanceiro de Almeida Garrett. 

«A Nau Catrineta» (2012), exibida em diversos festivais da Europa e no Brasil, onde foi galardoado com o Prémio Melhor Animação no «Curta Amazônia». Em Portugal foi exibido no Fantasporto, Avanca, Monstra, Fike e CineCôa, entre outros, tendo sido o filme de encerramento do Cinanima 2012.

Homenageado pelo Cinanima em 1993 e, de novo, na última edição em 2017, Artur Correia foi distinguido, há poucos dias, pela Academia Portuguesa de Cinema com o Prémio Carreira Sophia 2018.

À Família, o Governo envia sentidas condolências.

Tags:
cultura
Áreas:
Cultura