Governo vai alterar medidas para combater transmissão de VIH e SIDA - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-11-27 às 16h00

Governo vai alterar medidas para combater transmissão de VIH e SIDA

Ministra da Saúde, Marta Temido, na visita à Unidade de Cuidados Continuados, Cabeceiras de Basto, 26 novembro 2018 (Foto: Hugo Delgado)
A Ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou que o facto de o foco da infeção por VIH estar a passar de um grupo populacional para outro vai obrigar o Governo a adaptar as respostas atuais, numa declaração feita em Vila Nova de Gaia, a propósito do relatório apresentando recentemente pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), intitulado «Infeção VIH e SIDA».

O facto de «o foco da doença estar a passar de uma determinada população para outra tipologia populacional leva-nos a adaptar as respostas e a focar a atenção naquilo que está a ser a evolução e transmissão da doença VIH para outros grupos populacionais», frisou a Ministra. De acordo com o relatório, os novos casos de infeção por VIH que surgiram em Portugal em 2017 afetaram sobretudo o grupo etário entre os 25 e os 29 anos. O documento refere ainda que no ano passado houve 1.068 novos diagnósticos de VIH, o que corresponde a uma taxa de 10,4 novos casos por 100 mil habitantes.

Infeção diminuiu

Já a percentagem de novos casos de infeção por VIH e SIDA em consumidores de drogas injetadas atingiu, no ano passado, um mínimo histórico, tendo recuado para 45% (VIH) e 90% (SIDA) do que era em 2006. «Esta é uma boa notícia: demonstra que quando acertamos o foco em determinada situação alcançamos resultados positivos. Contudo, temos de estar atentos a sinais menos positivos», afirmou a Ministra.

O relatório refere também o aumento em 29% dos casos de transmissão entre homens homossexuais. Marta Temido referiu que a Direção-Geral da Saúde está a trabalhar «em permanência» para encontrar novas formas de abordar esta questão.

Marta Temido referiu ainda que a «própria evolução da terapêutica da doença» permitiu que algumas preocupações abrandassem, «levando a um retardamento da sua identificação» nos doentes, designadamente nos heterossexuais.

Tendência decrescente

O relatório do Instituto Dr. Ricardo Jorge demonstra que o número de diagnósticos de VIH e SIDA diminuiu entre 2006 e 2016, em Portugal, respetivamente, de 40% e de 60%, embora Portugal continue a apresentar uma das mais elevadas taxas de novos diagnósticos de infeção por VIH e de incidência de SIDA da União Europeia.

A Ministra visitou o Centro de Reabilitação do Norte, em Vila Nova de Gaia.
Tags:
saúde
Áreas:
Saúde