Saltar para conteúdo

Notícias

2019-01-30 às 16h42

Governo apoiou 864 projetos para recuperar ou criar empresas nas zonas dos grandes incêndios de 2017

Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, na audição da Comissão de Agricultura e Mar, Assembleia da República, 30 janeiro 2019
O Governo apoiou com 632 milhões de euros 813 projetos para criar novas empresas ou para recuperar empresas nas duas zonas afetadas pelos incêndios de outubro de 2017, disse o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, numa audição da Comissão de Agricultura e Mar da Assembleia da República. 

Estes projetos foram apoiados no âmbito dos dois tipos de mecanismos definidos para os concelhos afetados nas regiões Norte e Centro: um de reposição da atividade económica afetada e outro de criação de nova atividade económica, disse Pedro Marques.

O Ministro afirmou que estes apoios permitem manter 4 300 postos de trabalho nas empresas afetadas com os incêndios e atrair mais de 2 500 empregos para as duas regiões, acrescentando que «é significativo que um número tao grande de empresas tenha aderido a este objetivo de atrair nova atividade económica à região».

Relativamente aos incêndios de junho, foram apoiadas 51 empresas, com um investimento total de 26 milhões de euros, permitindo salvaguardar 196 empregos.   

Reconstrução de habitações

Pedro Marques referiu também que para reconstrução de habitações afetadas pelos incêndios de outubro de 2017 foram aprovados «799 requerimentos de apoio na região Centro e 72 na região Norte», neste momento havendo «intervenções em curso ou concluídas em 95% das habitações». 

«Na região Centro, aquela que tem de longe o maior número de casas envolvidas, 60% estão concluídas e 40% estão em obra ou fase de conclusão», explicou, acrescentando que «na região Centro foram apresentadas 1 311 candidaturas para apoio a habitação permanente, sendo que 487 pedidos «não estavam enquadrados» por diversas razões, entre os quais «danos não justificados, ou uso do imóvel para utilização de carater não permanente».

O Ministro disse também que «não existem atrasos significativos» nos pagamentos, acrescentando que «42 milhões de euros já foram pagos às empresas».

Relativamente aos incêndios de junho, foram reconstruídas 259 habitações, num valor global de 9,9 milhões de euros, estando 212 concluídas e as restantes em obra. 

Pedro Marques referiu ainda que foram também já pagos aos agricultores afetados pelos fogos «mais de 60 milhões de euros» de verbas da área de Governo da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.