Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-14 às 17h26

Função do Governo é assegurar melhores condições ao Serviço Nacional de Saúde

Primeiro-Ministro António Costa durante uma visita ao Hospital de São José, Lisboa, 14 março 2019 (Foto: Manuel de Almeida/Lusa)
O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que «a função de um Governo não é impedir greves, mas assegurar que o Serviço Nacional de Saúde está cada vez em melhores condições de cumprir a sua função».

Em Lisboa, no final de uma visita ao Hospital de São José em que esteve acompanhado da Ministra da Saúde, Marta Temido, o Primeiro-Ministro destacou a importância de «continuar a aumentar o número de recursos humanos» para melhorar o SNS.

«Mas também temos de ter ainda mais equipamentos e melhores condições. Com os recursos que temos disponíveis, temos de conseguir gerir o conjunto destas necessidades da forma mais harmoniosa», disse.

O Primeiro-Ministro destacou medidas como a reposição dos vencimentos, do horário de 35 horas semanais e do subsídio para enfermeiro especialista, acrescentando que será estruturada uma carreira, que além da categoria de enfermeiro, tenha a de enfermeiro especialista e de enfermeiro gestor, e que está aberto um novo concurso para a contratação de mais 500 enfermeiros.

Greves resultam de «uma ambição legítima»

António Costa salientou que o recurso à greve resulta de «uma ambição legítima que as pessoas têm de poderem ir mais depressa e mais longe», mas frisou que «não houve uma única que tenha resultado de qualquer medida adotada por este Governo».

«Compreendo as ambições, mas vamos ao ritmo que nos propusemos, fazendo aquilo com que nos comprometemos fazer e que iremos continuar a fazer. Temos de fazer aquilo que prometemos e não aquilo que não prometemos. Quando assumimos os compromissos medimos tudo bem para saber o que podíamos fazer e não fazer», afirmou.

O Primeiro-Ministro sublinhou a importância de «cumprir tudo aquilo a que o Governo se comprometeu e não dar nenhum passo que coloque em causa o que já foi alcançado».

No Hospital de São José, António Costa e Marta Temido conheceram os novos equipamentos dos serviços de Imagiologia e de Urologia (angiografia biplanar digital, ressonância magnética e sistema de biópsia prostática por fusão de imagem) que traduzem um investimento global de mais de três milhões de euros, dos quais 50% resultam de capital do centro hospitalar e outros são 50% provenientes de fundos comunitários do Portugal 2020.

A aquisição destes equipamentos permitirá um significativo ganho de qualidade e reforçar o acesso a Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica de última geração.