Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-01 às 19h01

Estratégia de Saúde para as Pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo apresentada em Lisboa

Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, na apresentação da Estratégia de Saúde para Pessoas LGBTI, Lisboa, 1 julho 2019 (DR)
Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, na apresentação da Estratégia de Saúde para Pessoas LGBTI, Lisboa, 1 julho 2019 (DR)
«Aquilo que se pretende é quebrar barreiras e estigmas», afirmou a Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, na apresentação da Estratégia de Saúde para as Pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo (LGBTI), em Lisboa, onde esteve também presente a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

Acrescentando que o objetivo deste trabalho é garantir que as pessoas LGBTI tenham a garantia de equidade no acesso aos cuidados de saúde, a Secretária de Estado da Saúde referiu que a apresentação da Estratégia é «um primeiro passo para a sua implementação no terreno, que vai passar pela criação de uma norma clínica orientadora para profissionais de saúde».

«Este documento deverá ser um instrumento de informação, capacitação e clarificação daquilo que são pressupostos básicos da Estratégia», disse ainda a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

Colaboração de ONG especializadas é fundamental

«Aquilo que se prevê é que se desenhe a formação e desenvolva um organismo regional com pontos focais a nível dos hospitais e cuidados de saúde primários, garantindo que é feita formação em cascata», ou seja, dos níveis hierárquicos superiores para os inferiores, afirmou também a Secretária de Estado da Saúde.

Raquel Duarte acrescentou que a meta é «podermos garantir que todos os profissionais, em todos os níveis, têm a formação adequada para, pelo menos, orientar as pessoas para a resposta» que melhor se adeque à sua situação.

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade concluiu, sublinhando a importância da colaboração das Organizações Não Governamentais (ONG) representativas da comunidade LGBTI neste processo, que trouxeram as suas experiências para a elaboração de um documento em que «houve abertura para ir além daquilo que indicava a lei para se desenhar uma estratégia ampla, que se irá completar com a elaboração de mais volumes».

«Promoção da saúde das pessoas trans e intersexo» é o primeiro volume da Estratégia de Saúde para as Pessoas LGBTI. Esta obra é resultante de um trabalho colaborativo entre o Governo, organismos de saúde, e a sociedade civil (ONG de representação da comunidade LGBTI).

São objetivos da Estratégia promover a literacia em saúde LGBTI e melhorar a preparação dos profissionais de saúde. Em casos concretos, a Estratégia visa, por exemplo, homogeneizar práticas médicas e cirúrgicas para estas pessoas, tendo em conta as suas vulnerabilidades e necessidades específicas, mas evitando que estas se traduzam numa barreira no acesso à saúde.