Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-10 às 19h02

«Esta foi a legislatura da confiança, do emprego e das contas certas»

Ministro das Finanças, Mário Centeno, discursa no encerramento do debate sobre o estado da Nação, Assembleia da República, 10 julho 2019 (Foto: Manuel de Almeida/Lusa)
«Esta foi a legislatura da confiança, do emprego e das contas certas», afirmou o Ministro das Finanças, Mário Centeno, no encerramento do debate do estado da Nação, na Assembleia da República, que foi aberto pelo Primeiro-Ministro, e no qual discursou também o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

O Ministro referiu que «a confiança dos agentes económicos está em máximos de 20 anos», mostrando «que havia, afinal, alternativa com uma política diferente», porque «apenas a confiança traz investimento e a melhor forma de investimento nos nossos dias é no emprego de qualidade».

Mário Centeno afirmou que «Portugal teve nos últimos anos os mais elevados ritmos de crescimento do emprego», acrescentando que entre os mais 350 mil empregos criados, 290 mil absorveram portugueses desempregados, havendo «menos 90 mil famílias onde todos estão desempregados».

Bem-estar aumenta

O Ministro sublinhou que «o bem-estar dos portugueses converge há três anos consecutivos com a União Europeia», o que «nunca nos últimos trinta anos isto tinha sido conseguido».

E, sublinhou, isto foi feito «com contas certas. Já não comprometemos o futuro com mais impostos. As autoridades já não se reúnem para determinar e corrigir os défices, mas para determinar o saldo orçamental».

O Ministro afirmou que «ao longo desta legislatura reduzimos o esforço fiscal das famílias e das empresas: no IRS, no IRC, no IVA», acrescentando que «hoje, as famílias portuguesas pagam menos impostos por cada euro que recebem de salário» e, «por cada unidade consumida, os portugueses pagam menos IVA. Sem impostos futuros escondidos».

«Em três anos, para além do alívio fiscal, as famílias portuguesas receberam mais 19 mil milhões de euros de salários», disse ainda Mário Centeno, acrescentando que «os salários recebidos pelas famílias portuguesas cresceram 16%». 

Investimento nos serviços públicos

O Ministro deu exemplos do investimento nos serviços públicos.

Lembrando que «as aulas começaram sempre no dia marcado», acrescentou que «contratámos mais 8 500 educadores, docentes, assistentes» e «reforçámos o investimento, em cada ano da legislatura, em mais de 200 escolas por todo o País».

«Depois de terem sido retirados mais de 800 milhões de euros ao ensino básico e secundário, entre 2011 e 2015, este Governo termina a legislatura colocando mil milhões de euros por ano no ensino». 

Mário Centeno referiu também que «nesta legislatura, foram investidos na saúde dos portugueses mais 4 600 milhões de euros do que nos quatro anos anteriores», incluindo para contratação de «mais 11 500 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e assistentes» e mais «2 600 milhões de euros em medicamentos, meios de diagnóstico e dispositivos médicos».