Capacitar comunidades ciganas para que sejam «agentes ativos da mudança» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-01-30 às 19h12

Capacitar comunidades ciganas para que sejam «agentes ativos da mudança»

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, afirmou a importância do trabalho de capacitação das comunidades ciganas para que estas sejam «agentes ativos da mudança» rumo à integração plena.

Em Lisboa, na entrega dos protocolos que formalizam a execução de 18 projetos apoiados pelo Fundo de Apoio à Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas, a Secretária de Estado referiu que os ciganos «são um dos públicos mais discriminados na sociedade portuguesa» e acrescentou que «a integração é um processo bilateral».

Rosa Monteiro reiterou a importância de trabalhar com as comunidades para que estas se possam assumir como agentes ativos da mudança e disse esperar que o trabalho positivo que tem sido feito por organizações não-governamentais, instituições de solidariedade social e associações de ciganos, com a colaboração do poder local, «se possa contagiar a toda a sociedade».

Os projetos financiados pelo Fundo de Apoio à Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas incluem um kit pedagógico sobre a história e cultura ciganas, um programa de rádio da e para a comunidade cigana em Belmonte e a formação de competências de mulheres e mães ciganas.

Com uma duração máxima de ano e meio, os projetos são promovidos por organizações não-governamentais, associações ou grupos informais de ciganos e instituições de solidariedade social, com a parceria de escolas, universidades e autarquias, sendo financiados quase exclusivamente pelo Alto Comissariado para as Migrações.