Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-22 às 18h35

«Atrair, reter, liderar e motivar» para garantir Administração Pública capaz

Secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, nas Conferências Abertas sobre Inovação, Lisboa, 22 julho 2019
A Secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, afirmou que «atrair, reter, liderar e motivar» são as quatro dimensões necessárias para desenvolver uma «Administração Pública capaz, adaptável e resiliente».

Em Lisboa, nas Conferências Abertas sobre Inovação que fazem parte do Mês da Inovação na Administração Pública, a Secretária de Estado realçou que a atratividade deve ser direcionada para as novas gerações de trabalhadores «ao mesmo tempo que garante a transferência de conhecimento das gerações mais antigas».

Num debate sobre Inovação e Futuro dos Serviços Públicos, que contou também com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Modernização Administrativa, Luís Goes Pinheiro, e da Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, Fátima Fonseca salientou também a importância do desenvolvimento e retenção de talentos.

Nesta dimensão, a Administração Pública tem de ser capaz de «oferecer percursos profissionais com futuro e valorizar a remuneração dos trabalhadores de acordo com as suas qualificações e reconhecimento do mérito, sem esquecer os percursos dinâmicos de aprendizagem».

Para garantir «uma cultura de liderança estratégica, participada e colaborativa», a Secretária de Estado referiu a necessidade de estabelecer «percursos formativos que incluam capacitação para a liderança em contexto público e modelos de gestão e liderança que garantam capacidade de trabalho».

Por último, é imperativa uma «permanente mobilização dos trabalhadores através de mecanismos de incentivo à eficiência e à inovação». A Secretária de Estado acrescentou que será reativada «a avaliação dos serviços com distinção de mérito associada aos melhores níveis de desempenho e refletir esta distinção em benefícios para os respetivos trabalhadores, reforçando o alinhamento com os objetivos que os serviços prosseguem».

Fátima Fonseca destacou ainda que «as medidas para a Administração Pública devem ter subjacentes opções políticas claras e fundadas em valores fundamentais como o estado social forte, o trabalho digno, a equidade e a igualdade de oportunidades».

O fortalecimento da Administração Pública só será possível através da implementação de «políticas de gestão de recursos humanos que permitam gerir o presente com foco no futuro, desenvolvendo capacidade organizacional nos serviços públicos com os trabalhadores com as competências de que necessita e tirando partido da tecnologia para eliminar funções repetitivas e focar a força de trabalho nas atividades que acrescentam mais valor».