Papel da Marinha e da autoridade marítima nacional é essencial para a segurança de fronteiras - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2017-07-14 às 11h29

Papel da Marinha e da autoridade marítima nacional é essencial para a segurança de fronteiras

Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello

«O contributo que a Marinha portuguesa e a autoridade marítima nacional têm dado é decisivo e tem sido reconhecido pela agência Frontex», afirmou o Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello.

Estas declarações foram feitas em Lisboa, após uma cerimónia a bordo do navio NRP Tejo, que se prepara para a sua primeira missão no âmbito da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex) no Mediterrâneo.

O Secretário de Estado acrescentou que o contributo da Marinha e da autoridade marítima nacional é prestado «no quadro da cooperação com outras agências europeias e países europeus para a segurança do Mediterrâneo e controlo de fluxos migratórios provenientes, sobretudo do continente africano e Médio Oriente».

A missão de apoio será desempenhado por 25 elementos, com reforço de cinco fuzileiros, sendo depois reforçada, no local, com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e a guarda costeira italiana.

«Este navio será um contributo mais robusto para a segurança na zona entre Itália e Malta», sublinhou Marcos Perestrello.

No âmbito do Frontex, Portugal tem uma equipa da polícia marítima na Grécia, na ilha de Lesbos, e uma outra do grupo de ações táticas da polícia marítima a operar no sul de Itália.