Saltar para conteúdo

Notícias

2019-04-04 às 22h07

15 novos museus passam a integrar Rede Portuguesa de Museus

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, na cerimónia de integração de 15 novos museus na Rede Portuguesa de Museus, Lisboa, 4 abril 2019 (Foto: Manuel de Almeida/LUSA)

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, presidiu à cerimónia de integração de 15 novos museus na Rede Portuguesa de Museus (RPM), que decorreu no Palácio Nacional da Ajuda.

Destes 15 museus, cinco foram integrados este ano, como é é o caso do Museu do Centro Hospitalar do Porto, o Museu de Aguarela Roque Gameiro, em Minde, o Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento, o Museu da Saúde, em Lisboa, e o Centro Internacional de Artes José de Guimarães, em Guimarães.

Os outros dez tinham já sido certificados e publicados em Diário da República, mas só agora foi formalizada a sua entrada na RPM. É o caso do Museu Municipal de Loulé, do Museu de Santa Maria de Lamas, do Museu do Douro, do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha, do Museu da Irmandade dos Clérigos, do Museu da Misericórdia do Porto, do Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto, do Museu de Arte Contemporânea de Elvas, do Museu da Cidade de Aveiro e do Ecomuseu de Barroso.

Os processos de credenciação destes museus decorreram de 2015 a 2018.

Durante a sua intervenção Graça Fonseca referiu que, desde 2004, não se realizava uma cerimónia de formalização de entrada na RPM, fundada em 2000. Com a entrada destes 15 nove museus a rede passa a agora contar com 156 espaços museológicos de diversa índole, espalhados por todo o País, tutelados por diversas entidades, como o Estado, municípios, santas casas da misericórdia, irmandades ou fundações.

A Ministra disse ainda o Governo tem procurado estabelecer parcerias com entidades que, não sendo museológicas, têm obras de arte, e que vai ser possível expô-las.

Programa ProMuseus 

Graça Fonseca referiu que o reforço da RPM vai permitir que todos estes museus beneficiem, de forma integrada e estruturada, do importante instrumento financeiro que é o programa ProMuseus, inscrito no Orçamento do Estado com a verba de 500 mil euros.

As candidaturas a este programa vão ser abertas em breve e contemplarão também as vertentes da digitalização e a da internacionalização.

Graça Fonseca destacou ainda protocolo recentemente firmado com a Companhia de Seguro de Créditos (Cosec) que vai permitir expor 15 obras de arte, entre as quais seis tapeçarias de Portalegre,em espaços de fruição pública, que não Lisboa nem Porto, e citou também a exposição no Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, da coleção de arte da Fundação Millennium BCP.

«As obras de arte devem ser vistas por todos», concluiu.

Tags: museus
Áreas:
Cultura