Intervenção do Ministro das Finanças na tomada de posse dos órgãos sociais da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas - XXI Governo - República Portuguesa

Intervenções

2018-01-05 às 13h44

Intervenção do Ministro das Finanças na tomada de posse dos órgãos sociais da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas

«As ordens profissionais assumem um papel fundamental entre nós. As ordens, que são necessariamente criadas pelo Estado, prosseguem interesses públicos na medida da necessária garantia de confiança do exercício profissional. É por isto que o Estado lhes confere poderes, designadamente de regulação – auto-regulação - e supervisão profissional. Assim, é natural que as ordens profissionais sejam vistas como um garante do exercício de direitos e liberdades, permitindo uma maior transparência e informação aos consumidores, beneficiários e destinatários abrangidos pelos serviços na esfera das atividades reguladas.

Neste contexto, a profissão de Revisor Oficial de Contas continuará a desempenhar um papel muito relevante em termos económicos e sociais. Mesmo num período em que a tecnologia e o mundo digital promovem uma aceleração das mudanças económicas e sociais, posso afirmar com segurança que, nos dias de hoje, não é possível imaginar o funcionamento da economia — ou até, de forma mais abrangente, da sociedade — sem a existência de uma classe profissional que assegure a atividade de auditoria financeira.

O trabalho desenvolvido pelos Revisores Oficiais de Contas — não apenas na atualidade, mas nas últimas décadas — tem sido essencial para o reforço da confiança nas economias e para o reforço da credibilidade das empresas, em especial do seu relato financeiro. Esta confiança e esta credibilidade têm sido um dos elementos indispensáveis ao crescimento económico, ao investimento e ao desenvolvimento dos mercados de instrumentos financeiros.»

Leia a intervenção em anexo
Tags:
finanças