Visita oficial à Índia, 10 janeiro 2017
 
2017-01-10 às 16:58

PARCERIA ESTRATÉGICA ENTRE PORTUGAL E A ÍNDIA EM TORNO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

«O conjunto de áreas relacionado com os objetivos de desenvolvimento sustentável é uma excelente oportunidade para iniciar a parceria estratégica entre os nossos dois países para o século XXI», afirmou o Primeiro-Ministro, António Costa, numa conferência em Ahmedabad, capital do Estado de Gujarate, no quarto dia da visita oficial de seis dias à Índia.

«Dos contactos com o Governo da Índia e com empresários e investidores indianos nestes quatro dias de visita de Estado confirmaram que existem oportunidades de cooperação nas ciências, nas tecnologias, nas energias renováveis, na execução de infraestruturas, nas startups, na agricultura, na indústria agroalimentar, na água, no tratamento de resíduos, no turismo, na área farmacêutica e na defesa», acrescentou.

Os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável foram aprovados na Cimeira das Nações Unidas de Nova Iorque, em 2015.

«A agenda portuguesa está alinhada com a da Índia»

O Primeiro-Ministro disse também que «a agenda portuguesa está alinhada com a da Índia, país que tem programas de desenvolvimento de cidades inteligentes, de transportes urbanos verdes, entre outros».

António Costa acrescentou que, para Portugal, «é uma prioridade a descarbonização, sobretudo do setor dos transportes, através da promoção dos transportes públicos e da promoção da mobilidade elétrica».

«Temos uma agenda ambiciosa no campo das energias renováveis, tendo como meta estar na linha da frente na sua utilização. Recentemente, fomos capazes de assegurar que quatro dias de uma semana tivessem um consumo totalmente proveniente de energias renováveis», disse António Costa.

Lembrando que Portugal «é rico em sol, vento e água» e que o País «já atingiu 87% da sua meta colocada para 2020, em termos de produção de energias renováveis», o Primeiro-Ministro referiu que, «da energia que produzimos, 61% é a partir de energias renováveis».

«Índia e Portugal têm economias complementares e podem tirar partido de fazerem parte de regiões e mercados internacionais diferentes. Há grandes oportunidades que podem ser exploradas por ambos os países, em termos de comércio e investimento», afirmou ainda o Primeiro-Ministro.

Por isto, «considero urgente a implementação do acordo de Paris em termos de financiamento, mecanismos de mercado, reporte e monitorização. É com particular satisfação que verifico que Portugal e a Índia já ratificaram o acordo de Paris sobre alterações climáticas».

 

Foto: Primeiro-Ministro António Costa discursa numa conferência económica no Estado de Gujarate, Ahmedabad, 10 janeiro 2017 (Foto: Tiago Petinga/Lusa)

Tags: primeiro-ministro, índia, desenvolvimento, sustentabilidade