2017-08-29 às 12:22

TEMPO DE ESPERA PARA CIRURGIAS PRIORITÁRIAS MELHORA EM ANO DE ATIVIDADE RECORDE

O tempo de espera para cirurgia em doentes prioritários melhorou em 2016, ano em que se registou um número recorde de atividade.

Segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde, em 2016 os tempos de resposta mantiveram-se na média habitual dos 3 meses, tendo melhorado para os casos prioritários.

Como refere o relatório de acesso aos cuidados de saúde, em 2016 foram efetuadas 568765 cirurgias, o valor mais alto desde que existe sistema integrado de gestão de inscritos, mais 1,5% do que em 2015, mais cerca de 65 mil do que em 2011.

As intervenções cirúrgicas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) são realizadas segundo critérios claros e escrutináveis, que consideram a prioridade clínica e a antiguidade da inscrição em lista.

Maior equidade com nova lei

Em 2017 foi aprovada uma portaria que reduz os tempos máximos de resposta para os casos de prioridade normal, de 270 para 180 dias.

Com entrada em vigor em janeiro de 2018, o objetivo é que a nova lei dê origem a maior equidade aos utentes das listas de espera.

Esta portaria permite ainda, pela primeira vez no SNS, medir o tempo de resposta completo que é assegurado ao utente na globalidade do seu trajeto no hospital.

Em 2016 registou-se o número mais elevado de entradas em lista de inscritos para cirurgia desde que foi constituído o sistema de gestão para esta finalidade, o que evidencia o aumento da procura dos hospitais do SNS para a realização de atividade cirúrgica.

Tags: saúde, SNS, hospitais