2017-04-21 às 17:31

PLANO NACIONAL DE LEITURA 2027 APRESENTADO A 23 DE ABRIL

O Plano Nacional de Leitura 2027 vai ser apresentado numa cerimónia com a presença do Primeiro-Ministro António Costa, do Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes e do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que decorrerá a 23 de abril no Porto.

As linhas orientadoras para o Plano Nacional de Leitura até 2027 foram aprovadas na reunião do Conselho de Ministros de 30 de março e estabelecem «uma aposta na consolidação das ações concretizadas nos primeiros dez anos do Plano Nacional de Leitura e em novas vertentes a desenvolver até 2027».

«Privilegia-se uma política interministerial, com uma aposta clara na literacia científica e digital e na interação com outras esferas de conhecimento, como a artística, privilegiado sempre a abordagem inclusiva das práticas de leitura», pode ler-se no comunicado do Conselho de Ministros.

A implementação, acompanhamento e monitorização do plano serão assegurados por uma Comissão Interministerial, na dependência do Ministro da Educação em articulação com os Ministros da Cultura e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. A comissão será presidida por Maria Teresa Calçada e Elsa Maria Conde.

Na cerimónia que se vai associar às comemorações do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, estarão também presentes a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, e o Secretário de Estado da Educação, João Costa.

Objetivos do Plano Nacional de Leitura 2027

O Plano Nacional de Leitura, criado em 2006, é ampliado e reforçado, intensificando a articulação entre a educação, a cultura, a ciência e a tecnologia e as autarquias, visando uma estratégia nacional de elevação dos níveis de literacia no sentido de qualificar a população portuguesa e prepará-la para as exigências sociais do século XXI.

Em nota do gabinete do Ministro da Cultura, salienta-se «a aposta na literacia científica e digital para crianças e adultos e o envolvimento das instituições de ensino superior e dos Centros Ciência Viva».

O plano «terá um envolvimento mais profundo da área governativa da Cultura, não só através das políticas do livro e da leitura, mas também pelo cruzamento com outras expressões artísticas e promoção das literacias através dos meios de comunicação social».

Outro objetivo será o reforço dos hábitos de leitura entre as crianças e jovens, «estabelecendo uma nova ambição de envolvimento das famílias e da população em geral, com vista à aprendizagem ao longo da vida».

Tags: educação, cultura, ensino

INTERVENÇÕES

DOCUMENTOS

COMUNICADOS

CONTACTOS

Entrar em contacto