2017-04-19 às 14:56

RELATÓRIO PISA CERTIFICA APOSTA DO GOVERNO NA PROMOÇÃO DE MAIOR AUTONOMIA DAS ESCOLAS

O relatório Programme for International Student Assessment (PISA) divulgado pela OCDE corrobora a aposta das políticas de educação do Governo no fomento da avaliação centrada na dimensão formativa e ao serviço das aprendizagens, através de uma maior autonomia das escolas.

Principais conclusões

De acordo com o documento referente a 2015, que reflete a avaliação do bem-estar dos estudantes e a sua relação com as competências reveladas, os alunos portugueses manifestam elevados níveis de ansiedade (69%, em relação à média de 55% da OCDE) quanto aos testes e às notas.

Os dados recolhidos em 2015 identificam ainda em Portugal uma menor proporção de estudantes com expectativas de completar o ensino superior e um forte impacto do contexto socioeconómico sobre a motivação dos jovens para o sucesso escolar.

As conclusões do relatório validam o investimento em políticas que apostem numa maior inclusão de todos os alunos, em particular, no combate à retenção junto das populações mais vulneráveis.

Portugal é caso exemplar

No estudo merece também destaque o aumento da percentagem de jovens com ligação à Internet, 97% em 2015, quando este valor se fixava em 58% em 2006.

Portugal encontra-se, aliás, entre os países da OCDE em que mais jovens declara ter computadores portáteis em casa e em que mais jovens declara que a Internet é um excelente recurso para obter informação.

Na comparação internacional, o estudo destaca o caso português pela positiva, devido ao envolvimento da larga maioria das famílias no acompanhamento da vida escolar dos seus educandos, pelo sentimento generalizado de pertença dos alunos às suas escolas, e pela forte relação que existe entre a satisfação dos jovens com as suas vidas e o apoio dos professores.

Políticas de educação

Confirma-se, assim, a adequação das políticas de educação em curso, de aprofundamento das estratégias de intervenção definidas nas e pelas escolas, num quadro de maior confiança, autonomia e flexibilidade, permitindo uma maior participação dos professores, dos estudantes e das suas famílias.

A aposta na construção de um Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar a partir das propostas de cada escola e baseado em soluções locais valoriza, precisamente, a dimensão comunitária e o reconhecimento do envolvimento dos professores na construção do percurso escolar de cada aluno.

O III volume do Relatório PISA baseia-se nos resultados dos inquéritos e testes aplicados em 2015 a uma amostra de 540 mil alunos de 15 anos, provenientes de 72 países.

Tags: educação, alunos, escolas, professores, inclusão social, tecnologia

INTERVENÇÕES

DOCUMENTOS

COMUNICADOS

CONTACTOS

Entrar em contacto