Defesa Nacional, 11 agosto 2017
 
2017-08-11 às 15:30

COMANDOS SÃO «TROPA ESPECIAL DE ELEVADA EXIGÊNCIA»

O Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, afirmou que os comandos são «uma tropa especial de elevada exigência», no encerramento do curso de comandos e entrega do estandarte nacional à segunda Força Nacional Destacada na República Centro-Africana.

Em Sintra, no quartel da Carregueira, o Ministro referiu a importância da «elevada exigência na instrução e na preparação» que garanta a confiança «em que do regimento de comandos virá sempre um conjunto de forças que serão cruciais em determinados teatros de operações», como o da República Centro-Africana.

Portugal participa na missão Multidimensional Integrada de Estabilização das Nações Unidas na República Centro-Africana (Minusca), com uma companhia de infantaria, que constitui a Força de Reação Rápida da missão internacional de pacificação.

Esta companhia poderá também prestar apoio à missão de treino da União Europeia no terreno, quando determinado. Portugal contribui ainda com elementos nacionais destacados no quartel-general da missão. No total, integram a força nacional destacada cerca de 159 militares, dos quais 90 comandos.

A segunda Força Nacional Destacada na missão da Organização das Nações Unidas na República Centro-Africana tem partidas previstas para 25 de agosto e 4 de setembro.

Na cerimónia de entrega de boinas aos 13 militares que terminaram o 128.º curso de comandos com aproveitamento, Azeredo Lopes afirmou que a exigência da preparação se prova pelo facto de só 23% dos 57 iniciais terem chegado ao fim.

 

Foto: Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, no encerramento do curso de comandos e entrega do estandarte nacional à segunda Força Nacional Destacada na República Centro-Africana, Sintra, 11 agosto 2017 (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Tags: defesa nacional, militar, áfrica, forças nacionais destacadas