20170403 Mctes Incode2030
 
2017-04-01 às 12:00

GOVERNO APRESENTA INICIATIVA PARA MELHORAR COMPETÊNCIAS DIGITAIS DE PORTUGAL

O Governo apresenta uma iniciativa para melhorar as competências em tecnologias de informação e comunicação, que define medidas para a inclusão, educação, qualificação profissional, especialização e investigação científica até 2030.

A apresentação da Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 (INCoDe.2030) decorre no dia 3 de abril, em Lisboa, com a presença do Primeiro-Ministro António Costa, os Ministros da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que apresenta a iniciativa, dos Ministros da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, e da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, dos Secretários de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, e da Indústria, João Vasconcelos.

Entre as medidas constam a formação de info-excluídos, de pessoas com deficiência e necessidades especiais, de professores e de desempregados, bem como a certificação das competências digitais dos cidadãos

Constam ainda o desenvolvimento de recursos educativos digitais e o incentivo à investigação científica em ciências e tecnologias quânticas, inteligência artificial e meios de comunicação digitais.

O Portugal INCoDe.2030, que decorrerá entre 2017 e 2030, tem como objetivos generalizar a literacia digital, estimular a empregabilidade, a capacitação e a especialização profissional em tecnologias e aplicações digitais e a produção de novos conhecimentos nas áreas digitais.

Cinco áreas

Na educação, a iniciativa aponta o desenvolvimento e a divulgação de recursos educativos digitais para todos os graus de ensino, para disciplinas ou componentes do currículo e a formação de professores dos ensinos básico e secundário.

Na qualificação para o emprego, prevê cursos online de curta duração e cursos técnicos superiores em competências digitais, formação para licenciados desempregados e desempregados de longa duração, formação superior inicial e pós-graduada e a qualificação digital de trabalhadores em funções públicas.

No campo da especialização, estipula a criação de redes de mestrados e de laboratórios que estimulem a participação de estudantes universitários na investigação e no desenvolvimento de novos produtos e serviços que requeiram ou beneficiem da aplicação da tecnologia digital.

Na investigação, define a criação de uma biblioteca académica digital, que partilhe a informação de universidades e institutos politécnicos, e o incentivo a atividades em computação científica, em ciências e tecnologias quânticas, inteligência artificial e media digitais, envolvendo parcerias internacionais.

A iniciativa tem ainda um pilar de acesso às competências digitais dirigido ao cidadão comum, para aumentar as competências digitais da população em geral.

Execução

O acompanhamento da execução da iniciativa será feito por um Observatório para as Competências Digitais, dinamizado pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, em colaboração com o Instituto Nacional de Estatística.

A iniciativa será coordenada por Rogério Carapuça que preside ao fórum Competências Digitais, composto por especialistas de renome, e coordenada tecnicamente por Pedro Guedes de Oliveira.

Tags: digitalização, educação, investigação, qualificação, formação

INTERVENÇÕES

DOCUMENTOS

COMUNICADOS

CONTACTOS

Entrar em contacto