2017-05-10 às 10:05

MINISTRO DA CULTURA LAMENTA MORTE DE ARMANDO BAPTISTA BASTOS

O Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, presta público pesar pela morte do escritor e jornalista Armando Baptista Bastos, que considera uma grande perda para a cultura portuguesa.

Figura incontornável do jornalismo português, romancista e ensaísta, natural de Lisboa, Baptista Bastos iniciou a sua carreira profissional aos 19 anos no jornal O Século.

Em 1953 assinou a coluna de crítica «Comentário de Cinema», n’ O Século Ilustrado, iniciando um estilo jornalístico inovador, polémico e extremamente atual que o haveria de caracterizar para sempre.

Baptista Bastos pertenceu aos quadros redatoriais de diversos jornais e títulos e recebeu inúmeros prémios, entre os quais o Prémio Feira do Livro (1966), o Prémio Artur Portela (1978), o Prémio Nacional de Reportagem/Prémio Gazeta (1985), o Prémio Casa da Imprensa (1986), o Prémio «O Melhor Jornalista do Ano» (1980 e 1983), o Prémio Pen Clube (1987) e o Prémio Cidade de Lisboa (1987).

Fernando Dacosta considerou a sua obra sobre jornalismo intitulada As Palavras dos Outros «uma referência obrigatória na profissão». Este livro mereceria ainda o seguinte comentário de Luiz Pacheco: «Jornalismo feito literatura. Isto é, ascendendo ao plano da literatura: na contensão irónica, na sua capacidade de denúncia e intervenção, obrigando-nos à exploração psicológica dos tipos, no humor dos circunlóquios, principalmente no poder de síntese».

Tags: cultura