Inclusão social, 13 setembro 2017
 
2017-09-13 às 17:03

GOVERNO AUMENTA BOLSAS DE ESTUDO PARA ALUNOS UNIVERSITÁRIOS CIGANOS

O Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, afirmou que o Governo vai aumentar o número de bolsas de estudo para alunos universitários ciganos de 25 para 30 no âmbito do programa Opre.

Na cerimónia de balanço da primeira edição do Opre -Programa Operacional para a Promoção da Educação, em Lisboa, o Ministro referiu que é necessário «motivar mais jovens, homens e mulheres da comunidade cigana a ter orgulho em aceder ao ensino superior» e que «vale a pena estudar».

O programa é descrito como uma medida histórica que permitiu rasgar mentalidades e a taxa de sucesso da primeira edição foi de 71%, disse o vice-presidente da Associação Letras Nómadas, Bruno Gonçalves.

Grande parte dos alunos optou pelas ciências sociais mas também houve colocações em cursos em áreas com psicologia, ciências jurídicas, fotografia, desporto, automação naval ou serviço social.

«Estamos a fazer o que deve ser feito porque há aqui uma dívida de justiça para com a comunidade cigana, uma dívida de toda a sociedade portuguesa», afirmou Eduardo Cabrita, acrescentando esta não é apenas uma prioridade política como também um dos sonhos que o deixa mais satisfeito.

O programa Opre tem como objetivo ajudar jovens ciganos a entrar na universidade, dando-lhes uma bolsa de estudo no valor de 1500 euros por ano, atribuída pelo Alto Comissariado para as Migrações.

 

Foto: Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, e Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, na cerimónia de balanço da primeira edição do Opre, Lisboa, 13 setembro 2017

Tags: inclusão social, igualdade, universidade, ensino superior